Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Iluminação’ Category

120108_whitechristmas

 120108_white

120108_pink

120108_turq

 120108_xmas2

 

Imagens: Apartment Therapy

Read Full Post »

Luminária de Papel.

Vejam o vídeo:

 

Via:  http://decoeuracao.blogspot.com

Read Full Post »

Faça Você Mesmo

Luminária de caixa de ovo.

 

Vejam o passo-a-passo aqui.

 

Read Full Post »

 

A iluminação artificial é arte e técnica de iluminar. É técnica, pois requer cálculos onde os fatores básicos são a dimensão, a função do ambiente, a refletância dos materiais e outros mais. É arte porque está ligada a sensibilidade de quem a projeta, por realçar formas, cores e texturas com efeitos diversos e ainda por criar uma nova visão proporcionando beleza.

Em um jardim, a iluminação artificial adequada realça caminhos, dá destaque a árvores e arbustos, multiplica o colorido das flores e, sobretudo, oferece segurança.Existem vários tipos de efeitos de iluminação utilizados em jardim, como por exemplo:

Iluminação focal: direcionada, possui a atenção para um ponto específico do jardim: arbustos, esculturas e centros de interesses.

Iluminação indireta: demarca levemente o jardim sem um foco de destaque; normalmente colocada por trás das plantas ou direcionadas para muros ou pisos.

Iluminação geral: ilumina amplamente o local, sem destacar nenhum ponto; percebe-se o jardim como um todo. Para cada efeito existem luminárias e lâmpadas específicas, como por exemplo:

Spot e projetores: são indicados para criar efeitos especiais, como o da iluminação focal. Devem ser posicionados a uma distância de 1/3 da altura do elemento a ser iluminado.

Postes: indicados para iluminar uma área de maneira geral. Porém, é recomendável que tenham mais de 1.80m de altura para não ofuscar as vistas das pessoas.

Balizadores e mini postes: ideais para iluminar caminhos e elementos baixos, como as forrações de um jardim. Normalmente o raio de iluminação destas peças é igual a duas vezes e meia a sua altura. Também é viável que tenham menos de 1.10m de altura para não incomodar os olhos.

Arandelas: também chamadas de “varre paredes”, normalmente proporcionam uma iluminação indireta, onde se percebe o contorno do local.Estas luminárias devem ser específicas para as áreas externas: devem ter proteção contra sol, água, ventos, etc. Normalmente possuem vidros temperados, fiação resistente, vedação eficiente e borrachas de pressão.

As lâmpadas, normalmente, são determinadas na escolha das luminárias. Por exemplo: um refletor já possui especificado o tamanho da lâmpada, o encaixe da boquilha e a potência máxima de watts que suporta.

 

 

No projeto de iluminação para jardim deve se levar em consideração a função do jardim à noite; a arquitetura do local e o projeto do jardim. Além disso, deve prever a capacidade da rede elétrica disponível, o que é feito através da consulta de um técnico em eletricidade. A instalação da iluminação no jardim é sempre de responsabilidade de eletricistas ou firmas que prestam esse tipo de serviço. Seja qual for a forma de iluminar jardins, a iluminação externa deve proporcionar segurança e beleza.

 

Via: http://www.arteplural.com.br/

Read Full Post »

Sala de estar – Basta uma luz central na sala para iluminar todo o ambiente, mas é interessante também ter uma luz de abajur e luminárias pontuais para o espaço ficar mais aconchegante e para dar efeito nas paredes e nos quadros e objetos. Para quem tem um aparelho de televisão na sala, a luz baixa não reflete a luminosidade na tela da TV.

 

Sala de jantar – Uma luz pendente sobre a mesa é a dica para uma sala de jantar. Ela deve ficar com uma distância de 70 cm para evitar sombras. Luminárias pontuais para quadros ou aparadores também são boas dicas para a sala de jantar.

 

Banheiro – Usar arandelas ao lado do espelho é o correto. Spots acima do espelho provocam sombra e atrapalham na hora de barbear ou maquiar. Em geral, os banheiros possuem janelas pequenas, por isso é importante que o local seja bem iluminado.

 

Hall e entrada e corredores – Embora sejam áreas de passagem, merecem iluminação diferenciada. Pode-se fazer isso utilizando trilhos. Se houver quadro na parede, é interessante direcionar os spots para destacar a obra.

 

Escritório – Em uma residência, o escritório deve ter uma iluminação direta sobre a área de trabalho. Lâmpadas frias para evitar o aquecimento e luminárias de mesa e de pé para a leitura são ótimas dicas.

 

Quarto de criança – Em quartos de crianças ou adolescentes podem ser usados plafons ou luminárias suspensas que deixam a iluminação difusa e agradável. Deve ser usada também uma luminária para leitura ao lado da cama ou na área de trabalho.

 

Fachada – A Fachada deve ser pontual, usada em pilares e paredes em forma de embutidos, balizadores e arandelas.

 

Cozinha – Deve-se usar luz fria, que ajuda na economia de energia, nas áreas de trabalho da cozinha para que tudo fique bem visível. É interessante usar luminárias, como arandelas, se o teto for bem alto e que sejam de fácil limpeza e outras tipo spot nos armários.

 

Quarto – Os quartos merecem uma iluminação central (direta ou indireta) e também luzes periféricas, como abajures, para dar um ar de aconchegante e de penumbra.

Jardim – A iluminação do jardim deve acompanhar o paisagismo, valorizando árvores e arbustos com iluminação pontual e balizadores nos caminhos.

 

Via:   http://www.arteplural.com.br/

Read Full Post »

Decorar uma residência não significa apenas comprar móveis e objetos valiosos e sofisticados e distribuí-los pelos ambientes. A decoração de uma casa exige também um projeto bem elaborado de iluminação para destacar e valorizar os móveis e objetos. Por isso, antes de começar a pendurar lustres no teto, é preciso definir qual será a utilização de cada espaço, se é para trabalhar, ler, relaxar, dormir.

“A luz central de um ambiente deve ser a mais forte, mas é interessante instalar luzes periféricas como auxiliares, como spots, arandelas, colunas, abajures”, afirma a especialista em projetos de iluminação Denise Furcolin. Os abajures são essenciais em ambientes mais aconchegantes, como o quarto. Os spots, que produzem uma iluminação direcionada, são usados para leitura e iluminação de objetos, como quadros. Pequenos detalhes fazem a diferença porque dão conforto visual e deixam os ambientes mais agradáveis. Uma luz refletida na televisão, uma sombra durante a maquiagem ou a barba são incômodos que podem ser evitados apenas com a colocação correta de um spot, por exemplo.

Também deve-se levar em conta o material e as cores de luminárias, porque eles podem refletir a luz e atrapalhar a iluminação. Para quem gosta de ler em espaços diferentes da casa a sugestão é usar luminárias que possam ser transportadas de um lugar para o outro com facilidade e que fiquem atrás e um pouco acima do leitor com o foco no livro. Já na sala de TV, a dica é iluminar suavemente a parede atrás ou em volta do aparelho para que a luz não reflita na tela.

Para as casas com pé direito baixo, as luminárias em estilo coluna iluminam de baixo para cima e dão impressão de que a parede é mais alta. Os lustres com luzes para cima devem ser usados em tetos brancos para que a luz reflita e ilumine bem o ambiente.

A luz direta de um lustre central no teto cria um cenário homogêneo, que, apesar de menos interessante, é necessário para ocasiões de cerimônia. Lâmpadas embutidas em sancas, abajures e arandelas são recursos para criar um jogo de luzes indiretas, adequado a uma conversa entre amigos ou para a hora do relax. Spots e luminárias dão destaques a certos objetos. No canto de leitura, luminárias articuláveis com lâmpada potente a 50 cm do livro. Sobre a mesa de jantar a luminária deve ficar a uma distância de 80 cm.

A cor (tonalidade) da lâmpada também influencia no conforto. Poucos consumidores sabem, mas as lâmpadas fluorescentes podem ser produzidas nas tonalidades amareladas, azuladas ou neutras e cada uma delas têm sua propriedade. A branca-amarela é indicada para quartos e salas, já que remetem a conforto e aconchego e passam a sensação de tranqüilidade; a branca-azulada é indicada para banheiros e cozinhas, pois passam uma sensação de limpeza e frescor e mantêm as pessoas mais ativas; e a branca-neutra torna os ambientes claros sem interferir nas atividades exercidas no local.

Via: http://www.arteplural.com.br/

Read Full Post »